Archive for Outubro, 2010

Montejunto Velho

E mais Montejunto!!! 🙂 Quando fomos a Montejunto Novo alguns de nós ficaram com vontade de conhecer Montejunto Velho…a Ana Rodrigues teve a amabilidade de me convidar e fomos quatro, eu (Nuno), a Ana, o Vitor e o Nuno Freire e encontrámo-nos lá com a tia da Ana Clemente e o Pai da Ana.

Para quem não conhece,  Montejunto Velho oferece bastante variedade de escalada, tem alguns 4ºs graus, bastantes 5ºs, muitos 6ºs, e alguns 7ºs graus. Mas tem a particularidade de também ter vias de vários largos, algumas com mais de 30 metros. Podem ver aqui os crockis, e também aqui, visto que há um novo sector que me parece que se chama “Frágil” e que se situa á esquerda do sector “Isapaulo”.

Nós começámos pela “Menáge à Trois – IV+”, “El Manco – V” e “O Voo do Falcão – 6a+”.

A Ana na Menáge à Trois

 

 

A Ana e o Vitor a montarem os topos

Eu e o Nuno Freire  ainda fizemos dois V+ “Regresso do Pirata” e  “Música no Coração”. E o Nuno Freire e o Vitor andaram de volta da “Isapaulo – 6b” e da “Lusitânia Express – 6c”.

 

Nuno Freire

O Vitor a dar tudo no 6c...

...e depois a cair... 🙂 Mas ainda foi ao topo 😉

Mas quando começámos a retirar os expresses por volta das 18:30 é que começou a festa 🙂 O Nuno Freire já não tinha braços para o 6a+, mas o Vitor queria que ele fizesse a via… 🙂 Então o Vitor subiu para o ajudar, e depois desceriam ambos em rappel… só que já estava escuro para caraças LOL… resultado, o Vitor embora levasse o frontal não conseguia ver onde punha os pés… e nós cá em baixo não víamos nada, só íamos ouvindo “DÁ PI!!!!, “DÁ MU”, “VOU SUBIR!!!”, “VOU DESCER!!!”, “DÁ PI A MIM!!! E DÁ MU AO NUNO!!!” ainda andámos nisto talvez uma hora LOL até que eles lá desceram. Finalmente cá em baixo, começamos a arrumar o equipamento, e quando vamos para puxar a corda com que eles fizeram o rappel ela tinha ficado presa na rocha a uns bons 15 metros de altura LOL 😀 Começamos todos a olhar para o Vitor que é o melhor escalador 😀 e a pensar como iríamos buscar a corda sem ter de fazer topo e sem deixar lá material… lá se lembraram de uma técnica que eu não sei o nome, que permite “rapellar” para baixo sem deixar material na parede, e depois de tudo bem estudadinho lá foi o Vitor novamente (pela terceira vez) buscar a corda. Se não me engano o filme demorou até ás 20:45 😀 E para não dizerem que foi mentira, aqui vão as fotos 😉

 

O Vitor lá em cima com a "luzinha" do frontal.

Depois de descerem...mas ainda não sabiam que a corda tinha ficado lá presa 🙂

THE END